Posts tagged ‘talento’

Atrair candidatos é desafio para empresas com vagas disponíveis

Matéria em que falei sobre a falta de talentos no mercado, saiu na Administradores.com.


O que fazer quando o mercado de trabalho está em oferta? Com muitas vagas disponíveis, mas poucos candidatos capacitados para preenchê-las?

Segundo Paula Galvão, consultora em RH, uma medida a ser tomada pela organização é ela se tornar atrativa para o candidato. “As empresas precisam definir boas políticas de remuneração, tornar o processo de seleção menos rigoroso, aumentar investimento em treinamentos para compensar essa decisão da seleção e focar em recrutamento interno”, afirma.

Ela explica que uma estratégia comum em grandes empresas é construir um alto PVE (Proposta de Valor ao Empregado) que gerencia a imagem da organização no mercado e dos empregos que a empresa oferece, fazendo com que consiga os melhores talentos. “A Google e a Natura, por exemplo, possuem alto PVE, todos querem trabalhar lá. Isto é algo construído com o tempo, definindo-se qual o perfil do candidato ideal e trabalhando em atingi-los”, ressalta.

Oportunidades

Tornar as oportunidades de trabalho conhecidas no mercado é outro ponto-chave. O uso de redes sociais como blogs, twitter e portais da internet tem se tornado cada vez mais frequentes, e a empresa deve aproveitar esses canais. “Todos os canais possíveis devem ser atingidos para que o maior número de pessoas fique sabendo das oportunidades”, lembra Paula, que também é sócia da Kombo.

As parcerias também não devem ser deixadas de lado, já que podem auxiliar na hora de encontrar um novo talento. “Ferramentas para captação on-line tornam-se indispensáveis e um diferencial competitivo fortíssimo, assim como parceiros para ajudar na divulgação das vagas”, explica a consultora.

Paula destaca que outra questão fundamental para conseguir preencher as vagas é o gerenciamento dos currículos que chegam à empresa. “Os currículos passam a ser um dos bens mais valiosos num mercado de trabalho em oferta e, desta forma, um aproveitamento eficaz do material que chega pode ser decisivo”, afirma.

Assim como os currículos, os colaboradores que já estão na empresa devem ser valorizados. Possuir planos atrativos de treinamento e desenvolvimento, políticas de qualidade de vida e ambiente favorável podem fazer a diferença caso os funcionários atuais sejam sondados por concorrentes. “Num mercado de trabalho em oferta, uma alta taxa de rotatividade pode ser altamente comprometedora para qualquer negócio”, conclui Paula.

Fonte: site Administradores, 09/12/2009, http://www.administradores.com.br/noticias/atrair_candidatos_e_desafio_para_empresas_com_vagas_disponiveis/28468/

dezembro 11, 2009 at 7:00 am 1 comentário

Tecnologia torna o currículo mais dinâmico

Olha que maravilha pessoal!!!

O sonho virou realidade!!!

A kombo acabou de lançar esta novidade  e para os selecionadores de pessoal isso irá contribuir muito: Imagina antes mesmo de marcar uma entrevista você pode conhecer os projetos, portifólio, videos, fotos, e muito mais, tudo isso anexado ao currículo.

curriculo 2.0

Olha a matéria que está saindo e com isso milhares de pessoas estão colocando seu currículo na kombo.

Fonte:  Blog Tempos Modernos, ClicRBS (link), por Cláudia Marcelo de Lima, 01/09/09.

Unir a tecnologia a um dos documentos mais importantes de um profissional é a proposta da Kombo, empresa catarinense que identificou que 78% dos candidatos à vaga no mercado de trabalho apontam dificuldades em chegar na fase de entrevista num teste seletivo para emprego, pois o currículo é eliminado na primeira fase de seleção.

Para contribuir com o trabalho do selecionador, a Kombo pensou em ampliar as oportunidades de escolha de candidato, criando o Currículo 2.0.

– A ideia é tornar mais dinâmico o currículo, incluindo o portfólio pessoal, trabalhos acadêmicos e vídeos ao sistema de currículos, tudo por meio eletrônico – explica Paula Galvão, diretora da Kombo. Ela cita como exemplo pessoas que fazem trabalhos publicitários, que poderão integrar as peças no Currículo 2.0.

A integração também permite a inclusão de informações contidas em sites como o Youtube e Flickr, por exemplo.

– Queremos que os currículos tenham vida – ressalta Paula, que lembra que não há custo algum para se ter o Currículo 2.0 e que o sistema permite a inserção das informações de blogs, ou sites próprios.

Na onda da tecnologia digital, não é mais possível imaginar currículos contendo apenas os dados pessoais e a formação profissional, eles devem conter os objetivos e mostrar os caminhos necessários para se adequar as exigências do emprego às habilidades do futuro colaborador.

De acordo com a Paula, os recrutadores estão interessados em saber um pouco mais do candidato e a experiência não é a única coisa que conta, em uma avaliação.

– Mostrar que tipo de ações foram desenvolvidas, como a participação em trabalhos, é uma opção que os candidatos só têm na hora da entrevista e muitas vezes ele nem chega nessa etapa. Queremos incluir a tecnologia para dar mais condições para quem procura uma oportunidade de expor seus trabalhos – salienta a diretora.

A ferramenta é autoexplicativa e permite ao candidato que crie a sua página currículo na internet, que funcionará como um link contendo as principais informações que o candidato tiver interesse em apresentar.

– Tudo isso será indexado ao Google – afirma Paula.

Para acessar o Currículo 2.0, clique aqui.

Fonte:  Blog Tempos Modernos, ClicRBS (link), por Cláudia Marcelo de Lima, 01/09/09.

setembro 2, 2009 at 5:05 pm 1 comentário

Analisando currículos: a real importância de um banco organizado

analisando curriculoHoje recebi um currículo pelo correio de uma candidata que ainda não sei dizer ao certo qual era a área dela.

Diversos cursos mencionados em partes diferentes, descrição de atividades que não dava para identificar a procedência e ainda por cima, não tinha idade.

Ás vezes, por trabalhar com RH, saber fazer um currículo bem estruturado parece tão simples e básico que não dá para entender como algumas pessoas ainda cometem gafes de tal proporção.

Comecei um curso de pós-graduação em Design de interação no Instituto Faber Ludens mês passado com o intuito de unir duas áreas que gosto: tecnologia com humanas. Neste curso estudamos quais são as necessidades das pessoas para então pensar num design ou forma de algum produto para atender da melhor forma esta necessidade.

Com isso em mente, levantei quais são as minhas  necessidades primordiais, como recrutadora, ao ver um currículo:

  • Quem é a pessoa: onde mora, daonde vem, quantos anos tem. De uma forma resumida, gosto de saber em que fase da vida esta pessoa se encontra, qual é o seu contexto, e a partir daí imaginar se a vaga pode ser interessante para ela. Não que eu vá tirar conclusões finais pelo currículo, mas pelo menos já terei em mente o que gostaria de perguntar para a pessoa. Isso agiliza muito e não ter de antemão algumas informações é só mais um motivo para deixar o currículo de lado.
  • O que ela já fez: experiências anteriores, simples assim. Tudo num lugar, em ordem cronológica decrescente, de preferência. A ênfase deve ser dada a atividades ligadas à vaga de interesse. Às vezes a pessoa não tem muita experiência, mas já fez trabalhos voluntários em que exerceu liderança ou outros quesitos comportamentais. Isto também é importante.
  • O que ela quer fazer: Como coloquei no Twitter, versatilidade existe mas nem tanto. É muito raro alguém conseguir e querer exercer bem a função de auxiliar financeiro OU gerente comercial OU supervisor técnico. Todos temos preferências e habilidades. Se acho um currículo muito bom no financeiro e não tenho vaga aberta no momento, deixo o currículo no banco de talentos mas passo adiante para colegas que tem vaga aberta nesta área. Agora, se acho um currículo bom pra tudo, fico confusa e, de novo, fica de lado.

Escrevendo este post percebi que coloquei algo que pode parecer meio preguiçoso por parte do Recrutador: deixei o currículo de lado. Por que não fui atrás? Por que não perguntei para a pessoa?

Infelizmente, a realidade não é o ideal, e fazer tudo isto seria o ideal. Na realidade acontece que para cada currículo que deixo de lado, tem mais três razoáveis logo em seguida em que são claros nestes aspectos. Apenas em vagas mais difíceis investiria tempo para ir atrás de currículos mal organizados.

Uma boa saída nos últimos anos é o cadastro de currículo pelo site, com formulário pré-formatado. O candidato não gosta muito, mas para o recrutador é um sonho. Com cliques conseguimos encontrar o currículo que precisamos e ainda ver tudo ‘com o olho já treinado’, sabendo a localização de cada campo e informação.

Esta é apenas a minha percepção de análise de currículos, como realmente funciona. Sei que para muitos outros recrutadores o sentimento é o mesmo, especialmente se trabalham com currículo sem ser por formulário.

Desta forma, ter um banco de currículos bem organizado significa não perder talentos!

Existem várias soluções hoje para automatizar isto, vou mencionar aqui o Kombo Grátis que é da minha empresa e não tem custo. Com ele é possível colocar um formulário de cadastro de currículos no site para sanar os problemas mencionados acima.

Vou publicar este texto adaptado no blog da Kombo para candidatos, afinal, quanto mais candidatos tiverem noção de modelos de currículo, mais fácil ficará nosso trabalho.

Até a próxima!

por Paula Galvão de Barba

julho 2, 2009 at 12:15 am Deixe um comentário


Diagnóstico Empresarial

Saiba do que sua empresa precisa

O blog

Nossa proposta é ter um espaço para trocas de reflexões, tendências e práticas em gestão de pessoas. Participe com comentários e caso queira compartilhar experiências, dicas e textos, envie para o nosso contato na página "Sobre".

As autoras

Maria Carolina Linhares
Formada em psicologia e com 5 pós-graduações bem ecléticas de moda a liderança empresarial, empresária, trabalha na área de consultoria e negócios para RH.
Paula Galvão de Barba
Formada em psicologia, já atuou como consultora de RH e hoje é empresária, trabalhando na área de pesquisas sobre RH e desenvolvendo softwares para esta área.

Siga nosso Twitter!