Posts tagged ‘tomada de decisão’

Gestão de pessoas com foco na empatia

Meu trabalho aqui na Kombo é muito legal porque ao pesquisar sobre formas da tecnologia auxiliar o RH no dia-a-dia, acabo conhecendo diversas empresas e diferentes setores de RH. Comento hoje um caso bem interessante, em que a empatia foi uma importante ferramenta utilizada pelo RH.

É cada vez mais comum se falar da experiência do usuário: fazer pesquisa de mercado para saber o que as pessoas realmente querem, como elas realmente se sentem. Ao saber como o outro se sente, você consegue ver sob sua perspectiva e pensar em inovações que tragam resultados com real valor agregado.

Quantas empresas já criaram pacotes fenomenais de benefícios sendo que o que os colaboradores precisavam eram apenas sapatos mais confortáveis?

Saiba o que faz a diferença para os seus colaboradores!

Não que as pessoas não queiram um pacote de benefícios, mas o RH deve estar ligado para suprir primeiro as necessidades básicas das pessoas para então ir para o extra. O orçamento é sempre curto, por maior que seja a empresa que você trabalhe… Entao, como fazer algo que os colaboradores notariam e dariam valor imediatamente? Eis a pergunta-chave:

Você sabe como é o dia-a-dia do seu colaborador?

Nesta empresa que visitei, do ramo hoteleiro, a pessoa responsável pelo RH juntou-se à equipe de camareiras. No primeiro dia, foi com salto alto e logo se arrependeu… E o dia foi intenso: virar colchões, trocar toalhas, lidar com quartos sujos.. Ela sentiu na pele a realidade destas profissionais, quais são suas dificuldades, exigências e em especial a sua cultura.

O ganho desta experiência é enorme e essencial para decisões estratégicas!

Ao conversarmos sobre projetos futuros para o RH da empresa, ela facilmente visualizava possíveis problemas a serem enfretados pela equipe e também em alternativas para lidar com eles. E, como sabemos, análise dos riscos é crucial para o sucesso de um projeto.

Em novos projetos, é melhor prever para se precaver!

Outras ações como promover intercâmbio de pessoas de diferentes setores também promove integração e visão sistêmica, sendo que se processadas, podem vir a agregar na visão estratégica.

Caso você tenha tido alguma experiência que queira compartilhar, favor me enviar para que possamos publicar aqui e outros possam tomar conhecimento!

por Paula Galvão de Barba

julho 21, 2010 at 2:01 pm 1 comentário

O caminho da liderança: de líder de si mesmo a líder de outros líderes

O tema de liderança está muito difundido e, colocando em por menores, liderança é a arte de influenciar pessoas. Pessoalmente eu gosto do termo “inspirar”, assim, a liderança é a arte de inspirar pessoas.

Este é um caminho como qualquer outro, com etapas e desafios no seu decorrer. Algumas pessoas são ditas líderes natos, porém as competências de um líder podem ser amadurecidas e trabalhadas neste caminho. Listei abaixo os 3 principais passos que percebo como progressivos para aprimorar nossa liderença:

1. Ser líder de si mesmo. Inspirar a si mesmo para conseguir atingir os seus objetivos é definitivamente o primeiro passo. Isto significa lidar com padrões de comportamento e pensamentos (modelos mentais) para conseguir deixar de lado as distrações e focar no que precisa ser feito. Um livro muito bom neste tema é “Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes”, de Stephen Covey.

2. Liderar outros. A partir do momento que conseguimos identificar e trabalhar nossas próprias dificuldades para atingir objetivos, temos espaço e competência para agregar outros para nos ajudar na realização de tarefas específicas em prol de um projeto. Através de delegação servidora conseguimos inspirar e dar suporte para outras pessoas. Um bom livro neste tema é “O monge e o executivo”, de Jams Hunter.

3.    Liderar outros líderes. Neste nível inspiramos e damos apoio para que outros líderes inspirem outras pessoas, com as quais muitas vezes nem temos contato. O líder de líderes passa adiante sua energia motivadora, permeando pela organização e impulsionando para que os objetivos sejam atingidos. Ele dá espaço e apoio para que outros líderes trabalhem suas competências e tomem suas próprias decisões, servindo de exemplo para todos na arte de liderar. Uma boa dica de livro é o “O líder criador de líderes”, do Ram Charan.

Resolvi escrever sobre este tema em homenagem à minha querida parceira de blog, empresa e amiga Maria Carolina Linhares. Ela foi uma das primeiras líderes na minha carreira, num primeiro momento me direcionando para tarefas e hoje, como sócia da Kombo, me inspirando para que eu possa inspirar outros.

Hoje ela assume a presidência da ADVB aqui de Santa Catarina, a primeira mulher no cargo. Ela tem como principal função conduzir uma equipe de cerca de 25 diretores e vice-diretores, todos empresários e executivos bem sucedidos do Estado, em prol dos objetivos desta organização.

Exemplo perfeito de liderança de outros líderes!

Fica aqui os meus parabéns para a Maria Carolina por esta conquista, assim como os votos de uma gestão com muito sucesso e aprendizado.


por Paula Galvão de Barba

março 4, 2010 at 4:25 pm 2 comentários

Intuição como um diferencial para os líderes?

564050_wishful_thinkingNo artigo “A intuição como competência gerencial“, o consultor Edson Rodrigues traz que as mudanças no mundo estão acontecendo cada vez mais rápido desde o começo do século e que a intuição é sim uma competência gerencial importantíssima. Tomar decisões “sentindo” no meio de tanta informação, mesmo funcionando na base do erro e acerto, às vezes parece ser positivo para algumas empresas de acordo com o autor.

Como fico em cima do muro com relação á isso, acredito que tanto trabalhar com e sem intuição têm seu valor. Eis as minhas ponderações:

1. Trabalhar sem intuição: Números, gráficos e dados. Realmente algo que falta e muito no RH. É crucial saber – em números – o que funciona e o que não funciona na empresa. Quanto mais comprovado um modelo de negócios ou projeto, maior a probabilidade de dar certo no futuro.

Exemplo: Se eu sei que nos meus últimos processos de seleção para a área de logística demorei mais que o prazo para recrutar candidatos por falta de currículos, é grande a probabilidade que na minha próxima vaga de logística poderei ter problemas com esta etapa. Solução: sabendo destes dados, faço uma ação em conjunto com instituições da área para arrecadar currículos para me preparar para futuras vagas.

2. Trabalhar com intuição: Achismos, tendências e visões. Desmistifico a questão da intuição trazendo um pouco da Psicologia da Criatividade, que coloca que criamos ao reestruturar na nossa mente informações já existentes, de uma forma totalmente nova e inesperada. Assim, não estou falando da intuição de receber uma mensagem do além, mas daquela decisão que às vezes sabemos que temos que tomar mas não sabemos porque.

Exemplo: Devido ao grande número de informações que recebemos atualmente, podemos saber coisas que nem temos consciência. Quem se lembra de tudo que lê todos os dias? Como sabemos ao certo o que isto influencia ou não nossa tomada de decisão? Neste sentido, utilizo o conceito de intuição como muito presente no nosso dia-a-dia. Eu recebo pelo menos 20 emails com informações de RH diariamente. Existem métodos e resultados que sei por algum motivo que funcionam, não me pergunte como, simplesmente sei.

Como tudo, o equilíbrio é fundamental. Os número são importantes mas acredito ser tão importante estarmos antenados com o nosso sentir. Se sentirmos dentro de nós alguma dúvida ao tomarmos uma decisão, vale a pena investigarmos melhor as variáveis envolvidas. Será que não vimos em algum lugar alguma informação que esteja nos contradizendo? Vale à pena a reflexão.

por Paula Galvão

maio 12, 2009 at 1:10 am Deixe um comentário


Diagnóstico Empresarial

Saiba do que sua empresa precisa

O blog

Nossa proposta é ter um espaço para trocas de reflexões, tendências e práticas em gestão de pessoas. Participe com comentários e caso queira compartilhar experiências, dicas e textos, envie para o nosso contato na página "Sobre".

As autoras

Maria Carolina Linhares
Formada em psicologia e com 5 pós-graduações bem ecléticas de moda a liderança empresarial, empresária, trabalha na área de consultoria e negócios para RH.
Paula Galvão de Barba
Formada em psicologia, já atuou como consultora de RH e hoje é empresária, trabalhando na área de pesquisas sobre RH e desenvolvendo softwares para esta área.

Siga nosso Twitter!