Archive for agosto, 2009

Minuto RH

Hoje se fala muito de RH estratégico, porém na hora de explicar não é tão simples assim…

A Daniella foi feliz na explicação, quero compartihar com vocês.

Para o RH ser estratégico a premissa básica é alinhar aos objetivos organizacionais, porém sempre fica a dúvida como medir os resultados, como saber se as políticas de RH estão contribuindo com o objetivo da empresa?

Utilizando o software kombo você tem vários relatórios estratégicos  que lhe fornecem estas informações em tempo real.

Telas dos gráficos de um  módulo

por Maria Carolina Linhares

Anúncios

agosto 12, 2009 at 5:24 pm Deixe um comentário

Como lidar com o preconceito na empresa : dicas de dinâmicas

diversidade

Saiu no Fantástico da semana passada uma matéria do Max Gehringer sobre o que as empresas podem exigir ou não dos colaboradores e entrevistados.

Na teoria este tema é muito claro: todos os candidatos devem ser tratados de forma igual, independente de idade, sexo, aparência, cor, etc.

Acredito que muito do RH, assim como eu, prezam por estes cuidados e buscam ser o mais justos possíveis, mas e quando a vaga é aberta com estas exigências discriminatórias? Não é raro gerentes ou supervisores abrirem vagas identificando especialmente o sexo e a idade, em alguns ramos a aparência. Sabem que não é legal, mas alguns ainda pedem mesmo assim: “Só me encaminha mulheres de até uns 30 anos”.

Como o RH deve agir nestas situações?

Minha sugestão: compreensão e educação.

1. Compreensão

Todos temos premissas na qual baseamos nossas ações. Tudo que fazemos tem um motivo, mesmo que inconscientemente. Passamos por diversas experiências na vida, aprendemos com elas e levamos o aprendizado para aplicar em outras situações. Às vezes esta aplicação é certeira, às vezes não. Independente disto, este conceito segue conosco e toda vez que adentramos uma nova situação com um conceito já formado sobre alguma coisa, isto se chama de pré-conceito. Um conceito prévio sendo aplicado numa nova situação.

Compreender que os gerentes e supervisores pode ajudar a lidar com este tipo de situações. Muito provavelmente eles passaram por experiências, seja com num antigo emprego, em casa ou até no emprego atual, que mostraram que “vendedor tem que ter boa aparência” ou “pessoas com mais idade não tem energia para trabalhar”. E compreender isso, saber que isto é um conceito e que todo conceito pode ser mudado, é o primeiro passo para evoluir.

2. Educação

Ao compreendermos o gerente, sabendo que a razão pela qual ele faz determinadas exigências, podemos nos munir para mostrar que pode ser diferente. Uma boa opção é encontrar exemplos, casos de sucesso, que comprovem que o conceito do gerente não necessariamente se aplica a todas as situações. Esta é uma situação que pode ser delicada, dependendo da abertura do gerente e da nossa possibilidade de atuação.

O ideal seria fazer um treinamento com os líderes, com bastante sensibilização, utilizando dinâmicas que possibilitem uma vivência no papel de discriminado. A empatia e a revisão de conceitos são os principais temas a serem abordados.

Eis aqui algumas sugestões de dinâmicas para aplicar

O hóspede

O construtor cego

Clique aqui para pesquisar em mais de 500 dinâmicas

Todos temos pré-conceitos: alguns que não causam danos porém outras que causam. O RH tem como dever lidar e amenizar estas questões dentro da empresa.

por Paula Galvão de Barba

ARTIGO RELACIONADO: O que não dizer para colegas com relação à idade

agosto 7, 2009 at 5:08 pm 2 comentários


Diagnóstico Empresarial

Saiba do que sua empresa precisa

O blog

Nossa proposta é ter um espaço para trocas de reflexões, tendências e práticas em gestão de pessoas. Participe com comentários e caso queira compartilhar experiências, dicas e textos, envie para o nosso contato na página "Sobre".

As autoras

Maria Carolina Linhares
Formada em psicologia e com 5 pós-graduações bem ecléticas de moda a liderança empresarial, empresária, trabalha na área de consultoria e negócios para RH.
Paula Galvão de Barba
Formada em psicologia, já atuou como consultora de RH e hoje é empresária, trabalhando na área de pesquisas sobre RH e desenvolvendo softwares para esta área.

Siga nosso Twitter!